Páginas

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Estatuto de Poeta

Artigo Décimo Primeiro

Poeta pode andar vestido como quiser, onde quiser e com quem quiser. Poeta luta contra as misérias e mentiras do cotidiano, sempre mamando nos fartos seios da utopia.
Quem gosta de burocracia, revolução de boteco e politicagem é boçal metido a intelectualóide. Poeta gosta é de humanismo, das cores e da vida.

Nenhum comentário: