Páginas

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Do Útero do Mundo

          Ao receber a notícia de que meu livro de poemas está com sua segunda edição praticamente esgotada, corri para relê-lo. Desde que foi publicado em primeira edição, em 2007, quando fui Patrono da Feira do Livro de Cotiporã, eu não havia feito isso. E, sabem, me surpreendi. Ainda gostei muito do que li. Principalmente se tivermos em conta que são meus primeiros escritos, muitos deles ainda adolescentes.
          Ainda bem que nem sempre dou ouvidos ao que os outros dizem, pois muitos me desestimularam a publicá-lo. E estão aí, meus versinhos paridos do útero do mundo, se encaminhando para algo muito, muito raro: uma terceira edição. Não tenho conhecimento de uma obra poética publicada por essas bandas que tenha chegado tão longe. E olha que temos bons poetas por aqui, premiados e tudo.
          Então, pra comemorar, segue a primeira estrofe de "Erro Crasso", uma das minhas primeiras aventuras no mundo das letras, vencedor do concurso Mansueto Bernardi, um dos mais importantes do RS.

erra uma vez, erra duas, erra três
despreparo e ansiedade repelem a compreensão
labirinto sou, perco-me agora de vez
razão da minha miséria ou miséria de minha razão?

2 comentários:

Anônimo disse...

parabéns adorável escritor!
... e ainda bem que tu não dá ouvidos ao que os outros dizem, e sobre isso te deixo o pensamento do Nietzsche:
"Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar para atravessar o rio da vida. Ninguém, exceto tu, só tu.
Existem certos atalhos sem número e pontes e semideuses que se oferecerão para levar-te além do rio, mas isso só te custaria a tua própria alma: tu te hipotecarias e te perderias.
Existe no mundo um único caminho por onde só tu podes passar. Aonde leva? Não perguntes, segue-o".

Andréa Ilha disse...

Parabéns, Uili! Tão bom ver pessoas talentosas tendo o merecido sucesso com o que fazem! É certo que tudo isso é colheita boa das boas sementes lançadas lá atrás, e cultivar não é tarefa fácil. Parabéns, Uili, mais uma vez!

Um forte abraço!